in

Ator escalado em folhetim da Globo expõe passado triste; infância pobre, mãe órfã e pai violento

O ator que está escalado na novela Além da Ilusão contou que nasceu prematuro de 6 meses, porque sua mãe foi agredida pelo seu pai.

Montagem / Redes sociais / Globo

O ator Pablo Morais, escalado no folhetim Além da Ilusão, de autoria de Alessandra Poggi, revelou fatos de seu passado em uma entrevista para o Jornal O Globo. O galã da nova novela das 19h teve uma infância triste e sofrida.

Publicidade

O artista revelou que seu parto foi prematuro, nascendo aos seis meses de gestação, sendo um verdadeiro milagre ele estar vivo. No relato, Pablo contou que sua mãe entrou em trabalho de parto antes do momento certo para dar à luz, porque foi agredida fisicamente pelo pai do ator.

Ele ainda revelou que só conseguiu falar publicamente sobre o assunto após fazer um tratamento com psicólogos e compreender que é importante compartilhar histórias como a sua, para mostrar a outras pessoas a necessidade de denunciar atos violentos contra qualquer indivíduo.

Publicidade

Na entrevista, o ator também revelou que sua mãe teve que cuidar de quatro filhos sozinha, pois não podia contar com o pai das crianças. De acordo com Pablo, seu pai não costumava ficar em casa e, quando aparecia, era para agredir a esposa.

Publicidade

O artista relatou ainda que sua mãe é uma mulher sofrida, ficou órfã muito nova e foi criada em um orfanato. Ao se tornar adulta, acabou se casando com um homem que a maltratava e que não a ajudava a cuidar dos filhos. “Minha mãe foi criada num orfanato, sustentou os filhos sozinha e sofreu essa violência quando eu, o caçula, nasci”, relatou Morais.

Publicidade

Pablo afirmou que um dia sua mãe se cansou das agressões do marido e, com medo dele partir para cima de seus filhos, resolveu o deixar. Por conta disso, ela teve que batalhar muito para conseguir sustentar os quatro filhos sozinha. O ator disse que sua mãe vendia pastel na feira e ainda trabalhava como faxineira em um hospital para conseguir colocar comida na mesa e criar os filhos.

Mesmo com uma vida difícil, sua mãe o colocou desde criança para fazer aula de tecido e de balé, pois acreditava que a arte poderia salvar o futuro dos filhos. Emocionado ao relembrar do passado, Pablo agradeceu o esforço de sua mãe por ter o ajudado a se tornar quem ele é atualmente. “Devo tudo a ela. A força dela me fez ser o que sou hoje”, declarou o artista.

Publicidade