in

Eri Johnson poderá retornar à televisão como o novo apresentador da RedeTV!

A emissora, por enquanto, não confirma a negociações com o ator, que já estariam bem encaminhadas.

Notícias da TV - Uol

Longe das novelas após viver o detetive Edvaldo Guedes em Topíssima, que a Record TV exibiu em 2019, Eri Johnson tem grandes possibilidades de retornar à televisão, ainda em 2022, mas exercendo outra função: a de apresentador.

Publicidade

Pela sua versatilidade, o ator foi convidado pela alta direção da RedeTV! para comandar um novo programa de variedades, que ocuparia o horário matinal da emissora com estreia prevista para o primeiro semestre deste ano.

As negociações entre Eri e a RedeTV! já estariam muito bem encaminhadas e nessa atração, por enquanto, sem título definido, ele dividiria a apresentação com Alinne Prado, que já passou pelo Vídeo Show e atualmente integra o TV Fama.

Publicidade

Alinne e Eri são grandes amigos há muito tempo. Esse foi um dos motivos que fez com que ele se interessasse pela proposta que teria recebido.

Publicidade

O projeto dessa atração matinal faz parte da gestão de Juliana Algañaraz, diretora artística e de conteúdo da RedeTV!, que desde a sua chegada ao canal , em 2021, com o objetivo de incrementar a programação da emissora, tem realizado algumas mudanças que vêm obtendo resultados esperados.

Publicidade

No entanto, a emissora não confirma o fato nem as negociações com Eri Johnson. Através de comunicado oficial, que segue na íntegra: “A RedeTV! tem imensa admiração por Eri Johnson, um artista versátil e consagrado, com quem a emissora mantém um excelente relacionamento. Contudo, não há vínculo algum estabelecido entre o canal e o ator. A grade de programação da RedeTV! está sendo totalmente reformulada para 2022. Em breve, a emissora informará as novidades”.

Aos 60 anos, Eri Johnson está solteiro desde o fim do seu casamento com a estudante de medicina Alice Souto, 29 anos mais nova que ele

A união, celebrada pelo Padre Fábio de Melo, aconteceu em 2016 e durou um ano e sete meses.

Publicidade