in

Repórter teria sido demitida da CNN por se recusar a viajar de ônibus; emissora nega

A repórter Marcela Monteiro teria se recusado a viajar de ônibus, fazendo a CNN desembolsar cerca de R$ 500 por uma viajem de aplicativo.

Instagram/CNN Brasil

Na emissora há cerca de um ano e meio, a repórter Marcela Monteiro foi demitida da CNN Brasil. De acordo com informações divulgadas pelo site Notícias da TV, ela teve seu contrato encerrado por ter se recusado a andar de ônibus. A profissional estava no município de Resende, localizado a 146 km da capital fluminense, e acabou fazendo a emissora pagar um motorista de aplicativo para levá-la de volta ao Rio de Janeiro.

Publicidade

Marcela fechou contrato com a CNN em abril de 2020. Desde então, atuava como repórter factual. Diante disso, ela não contava com uma equipe para acompanhá-la nas reportagens que fazia. Ainda segundo o veículo de notícias, em novembro de 2021, Marcela chegou a ficar por seis dias em Resende. Depois disso, a emissora acabou se dando conta de que ela estava trabalhando sem folga e, por isso, mandaram outro profissional para cobri-la.

No intuito de cobrir Marcela Monteiro, a sua colega de profissão viajou de ônibus, com poltronas que não contavam nem com leito ou semi leito para descanso. Depois disso, foi dada à repórter a mesma opção, para que ela retornasse para o Rio de Janeiro, mas ela teria negado.

Publicidade

Ao supostamente se recusar a viajar de ônibus, Marcela alegou ter fobia de viajar de ônibus e que não conseguiria ficar em um lugar fechado por tanto tempo. Ela teria destacado, inclusive, questões de segurança. A corrida para trazer a repórter de volta teria custado cerca de R$ 500 para a CNN Brasil.

Publicidade

Toda essa situação teria sido determinante para que o contrato entre a profissional e a emissora chegasse ao fim. No entanto, para o Notícias da TV, a CNN Brasil afirmou que o desligamento de Marcela não tem nenhuma relação com o meio de transporte usado pelos repórteres.

Publicidade
Publicidade