in

Jurado do The Voice, cantor sertanejo Michel Teló é acusado de invasão e vai parar na Justiça, diz colunista

O cantor estaria sendo processado por danos morais e materiais por donos de um sítio em São Paulo.

Foto: Reprodução/ Portal Fashion Bubblies

O cantor Michel Teló estaria sendo processado pelos donos de um sítio no distrito de Catuçaba, em São Paulo. De acordo com informações do O Globo, os proprietários acionaram a justiça alegando que o artista e sua equipe invadiram a propriedade para gravar os clipes do sertanejo lançados a partir de 2020.

Publicidade

Segundo informações do colunista Ancelmo Gois, do Jornal O Globo, os donos do sítio disseram que o cantor não tinha autorização para utilizar a propriedade para as gravações.

Na entrevista, eles disseram que os clipes O Tempo Não Espera Ninguém, Sonhos e Planos, Para Ouvir no Fone e Verão de um Amor Caipira foram filmados na fazenda deles.

Publicidade

Por conta disso, os donos da propriedade entraram com uma ação contra o cantor pedindo uma indenização de cerca de R$ 100 mil por danos morais e materiais. O caso será julgado na comarca de São Luiz do Paraitinga, município localizado na região do Vale do Paraíba, em São Paulo.

Publicidade

Em nota, a assessoria do cantor Michel Teló disse que não recebeu nenhuma notificação sobre o processo em que o artista está sendo acusado. “O escritório do cantor Michel Teló vem por meio desta esclarecer que não recebeu qualquer informação, citação ou aviso sobre o processo”, disse a assessoria em um trecho da nota oficial.

Publicidade

Hit Ai se eu te pego foi caso de justiça e Michel Teló quase perde o direito de cantar seu principal sucesso

Não é a primeira vez que o cantor Michel Teló se envolve em uma polêmica por causa de suas canções. O hit Ai se eu te pego, maior sucesso de sua carreira, rendeu alguns processos por causa da autoria da música.

Após a canção repercutir nas redes sociais e fazer sucesso até no exterior, três estudantes entraram na justiça reivindicando autoria no refrão da canção, que inicialmente era de autoria de Sharon Acioly e Antonio Dyggs.

Depois de uma longa batalha judicial, o nome de Aline Medeiros da Fonseca, Amanda Grasiele Mesquita Teixeira da Cruz e Karine Assis Vinagre foram incluídos nos créditos da letra da música. O cantor quase foi impedido de cantar seu maior hit, mas no fim o embate foi solucionado.

Publicidade