in

Pouco tempo antes de perder a vida, humorista Batoré, já abatido e mais magro, falou sobre sua depressão

‘Naquela noite, eu esperei a morte’; disse o humorista em uma entrevista recente.

REPRODUÇÃO YOUTUBE CANAL TICARATICAST

Faleceu nessa segunda-feira (10/01) o humorista Ivanildo Gomes Nogueira, que se tornou conhecido em todo o Brasil como o personagem Batoré, famoso pelos bordões “Ah, para, ô!” e “Você acha que é bonito ser feio?”. O artista tinha 61 anos e seu óbito aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, em São Paulo, em decorrência de um câncer.

Publicidade

Ivanildo chamou a atenção há pouco mais de um mês ao aparecer no podcast “Ticaraticast” bem mais magro e abatido do que o normal. No papo com os também humoristas Bola e Carioca, Batoré falou que viveu momentos difíceis por conta de uma depressão durante a pandemia.

Em um verdadeiro desabafo, Batoré contou que viu a morte de perto por conta da doença: “Naquela noite, eu esperei a morte“, revelou o humorista em um trecho da entrevista. Batoré contou que procurou ajuda médica naquela noite após ouvir o seu filho de quinze anos dizendo que o ama.

Publicidade

O humorista tinha acabado de retornar para o programa “A Praça é Nossa”, após ter ficado 13 anos brigado com Carlos Alberto de Nóbrega, quando se iniciou a pandemia. Na ocasião, ele tinha fechado apenas por cachê, e faria um bom contrato após as férias, mas a pandemia fez com que o SBT mudasse de ideia e o humorista perdeu o trabalho.

Publicidade

Segundo o próprio humorista, os boletos foram chegando e ele ficou impossibilitado até de pagar a pensão de seu filho. A falta de trabalho e os problemas financeiros foram os maiores gatilhos para que ele desenvolvesse a depressão.

Publicidade

Eu pensei em ir até atrás da pessoa que determinou que a gente parasse de trabalhar”, disse Batoré no ano passado ao programa “Melhor da Tarde”, da Band.

Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com