in

Cantor Maurílio foi vítima de choque séptico, diz médico: ‘Rins, pulmão, fígado e, por último, o coração’

O médico que tratava o cantor contou que Maurílio começou a apresentar piora na terça-feira, 28, e os antibióticos foram trocados.

Reprodução/Luiza e Maurílio - Divulgação: G1

De acordo com informações do médico Wandervan Azevedo, a causa da morte do cantor sertanejo Maurílio, da dupla com Luíza, foi um choque séptico- infecção generalizada que causa a falência múltipla dos órgãos. Ele estava internado em uma unidade hospitalar de Goiânia há duas semanas.

Publicidade

O médico explicou que o cantor começou a piorar na última terça-feira, 28, e, diante disso, eles trocaram o antibiótico, mas mesmo assim o corpo de Maurílio não respondeu positivamente. Na manhã desta quarta-feira, 29, Azevedo diz que aumentou ainda mais os medicamentos do cantor, mas ele acabou sofrendo falência múltipla de órgãos. O médico detalhou ainda que os rins de Maurílio que pararam de funcionar: “rins, pulmão, fígado e, por último, o coração”.

O cantor estava internado após ter sofrido uma tromboembolismo pulmonar. Antes de confirmada a morte, um boletim médico, divulgado na manhã desta quarta-feira, 29, já havia informado que o sertanejo sofreu uma piora em seu quadro clínico nas últimas horas.

Publicidade

Aos 28 anos, Maurílio foi internado no dia 15 de dezembro, após ter passado mal enquanto participava da gravação de um DVD de outra dupla. Neste mesmo dia, ele chegou a cair no palco, sendo socorrido pela parceira Luíza e pelo produtor.

Publicidade

Wandervan Azevedo, que acompanhava o quadro clínico do sertanejo, afirmou que Maurílio sofreu três paradas cardíacas e, diante disso, precisou ser sedado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

Publicidade

A sedação de Maurílio foi retirada no dia 17, já que os médicos queriam avaliar como as funções neurológicas do artista iriam responder. No dia 18, foi divulgado uma melhora no quadro clínico de Maurílio e que ele passaria a se alimentar por sonda. Um dia depois disso, o sertanejo passou a respirar espontaneamente e, inclusive, chegou a conversar com a esposa, Luana Ramos, na UTI.

Na quarta-feira, 22, as funcionalidades dos rins do cantor voltaram, mas ele continuava fazendo hemodiálise. No domingo, 26, no entanto, as notícias não foram tão boas, já que ele precisou trocar antibióticos após apresentar problemas respiratórios. Na terça-feira, 28, foi divulgado uma piora no quadro clínico do cantor, que morreu nesta quarta-feira, 29.

Publicidade