in

Depressiva, sem herança e com dificuldade financeira, forma como viúva de Paulinho do Roupa Nova vive é triste

Elaine foi diagnosticada com depressão e crise de pânico após a morte do cantor. Atualmente, trabalha como camelô para sobreviver.

Reprodução: UOL - fotomontagem por manuella

No mês de dezembro do último ano, o cantor Paulinho, vocalista da eternizada banda brasileira Roupa Nova, faleceu em decorrência de complicações pela Covid-19. Internado há um mês, Paulinho teve falência múltipla de seus órgãos e, antes de contrair a doença, havia acabado de se recuperar de um transplante de medula óssea, realizado após um diagnóstico de câncer linfático.

Publicidade

Com sua morte, o vocalista deixou Elaine Soares Bastos, sua esposa que, atualmente, enfrenta grandes dificuldades financeiras. Com o objetivo de conseguir dinheiro para sobreviver, Elaine estaria trabalhando de camelô no Saara, comércio popular na cidade do Rio de Janeiro.

Segundo a jornalista Keila Jimenez, a viúva de Paulinho vende objetos domésticos como pratos e taças e, mesmo passando por dificuldades, ainda ajuda uma amiga que também possui uma barraca e já foi sua faxineira.

Publicidade

 “A Elaine ainda não recebeu nenhum centavo da herança do Paulinho”, revelou a jornalista, que apurou que Elaine busca trabalhos para se manter enquanto o inventário do marido não é finalizado.

Publicidade

Elaine está com depressão

Publicidade

Em entrevista ao portal O Fuxico na última semana, Elaine contou que, após a morte do marido, foi diagnosticada com crise de pânico e depressão: “Ficava encolhida na cama com medo de tudo. Medo de pegar o elevador, medo de dirigir, medo de tomar banho. Nos meus momentos de lucidez, por causa da quantidade de remédios que tomava, eu achava que ele ia voltar”, revelou a mulher. Além disso, Elaine contou que, onde mora, tudo lembra o cantor, e que ainda não conseguiu mexer em nada que fosse do marido.

Fertilização in vitro

Em seguida, a viúva de Paulinho declarou que, assim que parar de tomar seus remédios de depressão, pretende dar continuidade a um processo de fertilização in vitro já iniciado, com o objetivo de “ter um pedacinho dele de verdade” para ela.

Publicidade